O vibrador é o brinquedo sexual mais popular do mercado adulto.

No passado, os vibradores eram vistos como solução médica e objeto proibido, porém hoje eles acessórios para quem deseja uma vida sexual mais feliz. Então, os sexólogos os recomendam por uma série de benefícios que podem proporcionar.

Ideal para descobrir zonas erógenas

O mais notório ponto positivo é o autoconhecimento do corpo, porque o vibrador permite que a mulher descubra suas zonas erógenas, garantindo assim maior satisfação no momento íntimo. Além disso, os especialistas destacam que o brinquedo não é um competidor das relações sexuais, sendo que ele pode ser usado pelo casal como um complemento para a quebra da rotina.

Ideal para descobrir zonas erógenas

De acordo com uma pesquisa realizada na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, o vibrador também pode ser um grande aliado durante a menopausa. Pois como nessa fase a região pélvica sofre com falta de lubrificação, o aparelho pode ajudar a relaxar essa área e contribuindo com a saúde íntima da mulher.

Atualmente, existem no mercado os mais variados modelos de vibradores. O mais comum ainda é o personal, que tem formato fálico e tem como foco o relaxamento da região. Mas os modelos com estimulador clitoriano e anatômicos, desenvolvidos em silicone médico, são uma forte tendência!

Outro que está se popularizando é o vibrador duplo que, além de ter o penetrador principal, ele conta com um mini vibrador para alcançar o clitóris. Para grande parte das mulheres, esse é o melhor modelo, pois massageia a região mais sensível.

Vibradores Borboleta

O vibrador borboleta também é um modelo que estimula o clitóris. Há modelos que podem ser usados como calcinha e outros que vem com um mini pênis. A característica principal do vibrador borboleta é ele vir com um controle externo.

O massageador ou anatômico, que fez bastante sucesso na década de 1970, está disponível em vários formatos. Esse vibrador pode ser usado não apenas para a região íntima, mas em todo corpo, pois suas funcionalidades promovem um relaxamento.

Como surgiram os vibradores

Nos dias de hoje, os vibradores são associados ao prazer e à diversão. Mas nem sempre foi assim. O primeiro estimulador foi criado em 1869 para ser utilizado apenas para fins médicos. Segundo matéria no portal TERRA, era utilizado para curar a histeria em mulheres.

Naquela época, acreditava-se que muitas mulheres tinham superexcitação sexual, o que poderia gerar uma série de males, como: manias, espasmos e histeria. Chegaram até a cogitar a remoção do clitóris, região que seria a responsável pelos problemas neurológicos.  

No começo do século 20, os vibradores eram praticamente vendidos como se fossem remédios. Por isso, eles estavam presentes na maior parte dos lares americanos.

Porém, a popularidade dos brinquedos sexuais cresceu tanto — deixando de ser “médica” — que muitas mulheres pararam de usá-los. Entre um dos possíveis motivos estava o fato de as esposas não quererem que os maridos pensassem ser insuficientes na hora h.

Você vai gostar de ver também:

Diversos tipos de Vibradores

Vibrador com estimulador clitoriano